Você conhece mesmo a cidade do Recife?

Se você está lendo esse texto provavelmente conhece o Recife por morar ou trabalhar, estudar ou até mesmo já visitou esta veneza brasileira em uma de suas viagens. Mas esta magnífica cidade guarda segredos e curiosidades que muitos desconhecem.

Os 94 bairros do Recife compartilham histórias centenárias. Veja alguns exemplos:

Bairro de Santo Antônio:

Sediou o comando da invasão holandesa e possui um dos mais representativos conjuntos arquitetônicos do Recife. Idealizado pelo Conde da Boa Vista, que queria imprimir um ar parisiense em terras pernambucanas, o Palácio do Governo, recebeu a atual denominação como forma de homenagear as filhas de Pedro II, durante visita da família imperial ao Recife, em 1859.
O Conde também foi o responsável pela construção do Teatro de Santa Isabel, que ainda hoje é referência arquitetônica. Outro prédio que apresenta a mesma imponência é o que hoje abriga o maior templo do artesanato na capital pernambucana, a Casa da Cultura.
Mais um legado do Conde da Boa Vista, a antiga casa de detenção foi fechada no governo de Eraldo Gueiros. Idealizada pelo artista plástico Francisco Brennand, foi inaugurada em 14 de abril de 1976.

Bairro de São José:

Se caracteriza pelos cheiros diversos(de defumadores a milho cozido, frutas e temperos). O bairro tinha um caráter bastante residencial, muitas demolidas em nome do progresso, principalmente para dar passagem à avenida Dantas Barreto, bastante criticada por ligar o “nada à lugar nenhum”.

Hoje abandonado à noite; durante o dia, o agito toma conta das ruas e você pode encontrar praticamente de tudo se vendendo nas milhares de lojas aglutinadas em ruas estreitas.

O Pátio de São Pedro é um dos destaques que desde 1938 é considerado Patrimônio Nacional. Composto por 31 imóveis ocupados por restaurantes típicos, espaço de exposição, estudo e pesquisa da cultura popular. O local conta com uma programação cultural regular, onde ritmos e estilos variados convivem harmonicamente. Destacam-se para visitação, o Memorial Luiz Gonzaga; o Memorial Chico Science; o Museu de Arte Popular, casa do Carnaval, o núcleo da cultura Afro-Brasileira e o anexo do museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães(MAMAM).

O Mercado de São José é um dos vinte e quatro mercados públicos do Recife, capital de Pernambuco. Localizado no bairro de São José, é o mais antigo edifício pré-fabricado em ferro no Brasil, com a mesma estrutura neoclássica dos mercados europeus do século XIX. O local onde foi montado o Mercado abrigava antes o Sítio dos Coqueiros, depois chamado Largo da Ribeira do Peixe. Em 1891, a Câmara de Vereadores do Recife encomendou o projeto de um mercado para a região. O autor do projeto, se inspirou no mercado de Grenelle, em Paris. A obra foi inaugurada em 7 de setembro de 1875. Em 1989, um grave incêndio destruiu parte do mercado. Houve uma reforma e a reinauguração ocorreu apenas em 1994.

Bairro da Ilha do Leite:

Seu povoamento iniciou na segunda metade do século XVIII acompanhando as águas do Capibaribe. Propício para construção de grandes residências com jardins que possibilitavam a criação de animais, o bairro ficou conhecido como um dos principais fornecedores de leite. Nos tempos atuais se tornou importante polo médico e jurídico, com modernos empresariais que transformam a paisagem da ilha do leite.
Poucas foram as casas que resistiram à tal transformação local, que ainda tem ruas estreitas e moradores conversando nas calçadas ou observando o movimento pelas janelas.

Comentários

Voltar ao topo